Home » Notícias » Artigos de Opinião » Ajude o seu cão a não ter medo de fogo de artifício

Ajude o seu cão a não ter medo de fogo de artifício

Sabia que a audição de cães é bem mais aguçada que a do ser humano? Ou seja, o que para nós pode ser apenas um ruído mais alto, como o fogo de artifício, para os cães pode ser um barulho estrondoso e, por consequência, assustador.

Ajudar o seu cão a não ter medo de fogo de artifício

Somos capazes de captar frequências sonoras até 20.000 Hertz, enquanto cães possuem uma capacidade de captar frequências sonoras até 60.000 Hertz.

Nas épocas festivas, como a celebração do fim de ano, um espetáculo de luz, cores e barulhos, enchem o céu. Mas para os nossos fieis amigos de 4 patas, o espetáculo não é tão espetacular assim. E pode tornar-se até um momento de pânico e stress, desencadeando alterações de comportamento, que até podem levar a que se magoem, fujam ou se percam.

Alguns animais demonstram sinais de ansiedade e medo, que os seus donos podem facilmente detetar:

  • Ladrar excessivo
  • Comportamento destrutivo
  • Baba excessiva
  • Olhar evasivo
  • Cauda entre as patas traseiras (cães)
  • orelhas baixas e para trás
  • tremores no corpo
  • procura frenética por esconderijos

Além disto, cães assustados têm tendência a:

  • Seguir as pessoas da casa para todo lado (não querem estar sozinhos)
  • Esconder-se entre as pernas das pessoas
  • Esconder-se por baixo da cama ou em locais onde se sentem mais seguros

Para que o seu animal não se magoe e coloque a saúde em risco, deixamos algumas sugestões/dicas que pode levar em conta para o proteger:

  • Passeie-o enquanto houver luz natural e de preferência deixe-o correr (gastar energias) no dogpark;
  • Não o leve para eventos nos quais haverá confusão, barulhos, fogo de artifício;
  • Evite ao máximo deixar o seu amigo de 4 patas sozinho durante o rebentamento de fogo de artifício. Se tiver que o fazer:
    • mantenha-o dentro de casa ou num lugar onde estará seguro até que os barulhos terminem;
    • prepare o ambiente de maneira a que fique aconchegado, com o máximo de isolamento acústico possível;
    • certifique-se que todas as portas, janelas ou passagens, por onde possa tentar escapar, estão bem fechadas
    • feche estores e cortinas, de modo a não passar os clarões do fogo de artifício;
    • ligue a televisão ou coloque música para disfarçar os ruídos externos;
    • não administre calmantes nem sedativos sem consultar o médico veterinário;
    • jamais prenda o seu amigo de 4 patas com correntes ou coleiras. Ele pode magoar-se, e até mesmo enforcar-se, durante uma tentativa de fuga;
  • Distraia seu cão convidando-o para brincar. Existem jogos interativos bem interessantes;
  • Não o acarinhe constantemente, pois pode levar a que sinta que o medo é justificado e pode até, vir a repetir o comportamento no futuro;
  • Use cheiros e guloseimas como distrações
  • Avalie o seu comportamento e, se perceber que ele sofre de ansiedade excessiva nessas ocasiões, consulte um médico veterinário sobre alternativas de tratamento.

Para minimizar a ansiedade ou medo que o seu cão possa ter, existe uma técnica, conhecida como “Tellington Touch“, desenvolvida por Linda Tellington-Jones, que consiste em enrolar uma faixa de pano no seu amigo de 4 patas, para que a circulação sanguínea do corpo seja estimulada, e assim, crie uma sensação de segurança e o deixe menos agitado. Mas este método não deve ser utilizado por mais de 15-30 minutos e sempre sob supervisão. Basta passar uma faixa de pano macio e firme, à volta do animal de modo a abrigar o peito e dorso, finalizando com um nó na região da coluna. O efeito pode variar de cão para cão, dependendo do nível de fobia que ele possui.

Linda Tellington-Jones - Tellingoton Ttouch

Mas sugerimos que consulte sempre um veterinário, especialista em comportamento animal, ou treinador, de modo a saber o melhor para o seu amigo de 4 patas.

Leave a Comment